à toa na vida

Um dia, afinal

Vai passar. Quando a exaustão bate à porta, ligo o som para ouvir, de mansinho, um rastro qualquer de esperança. Escuto a voz dessa gente que há décadas resiste. Eles sopram rimas de força bruta, escondidas por entre versos discretos. Os desatentos nem percebem. Mas a...

ler mais

Brasília, 31 do 3

Oi? Você, provavelmente, nem está mais aí. Mas eu, sem mais, sem menos, só queria saber: como vão as coisas? Não te escrevo de mês em mês já há anos, não? Chega a ser risível como a vida corre e a gente tropeça nos próprios passos, um pouco aqui, outro...

ler mais

Olá, estranha

Como vai você? Cheia de novidades, suponho. Mais de três anos se passaram. Reparou? Encontrei sua família na rua dia desses. Fiquei feliz em vê-los. É sempre bom ter notícias de velhos amigos. Na verdade, até nos dias em que te avistei de relance por aí,...

ler mais

o que há

Voltou-se para ele, com ar desolado: – O que vai ser de nós? – suspiro – O que aconteceu com a gente? – Não sei. Aconteceu alguma coisa com a gente? – Sim. Quer dizer, não entre a gente. Mas com nós dois, separadamente. Ele fita o asfalto molhado, refletindo, pelas...

ler mais

tudo passa

Os dias já consumiram dois terços de março. O tempo passa discreto e calado. Li, certa vez, que ele é como um rio, que leva as horas no embalo suave de suas águas. Veloz e quase imperceptível. Em março, as águas desabam incessantes, em todo lugar. Sorte a minha....

ler mais

madrugada

Não sei qual é meu problema. Toda noite de programações vazias e pouco excitantes – ou mesmo nas mais conturbadas, só que você não precisa saber disso –, minha boca sussurra para minhas mãos que elas agarrem o telefone. Os dedos discam, compulsivos, aquela...

ler mais

"pra ver a banda passar, cantando coisas de amor..."

Pin It on Pinterest