arquivo

agridoce

Outro dia, voltei para casa. Bem, na verdade, uma das casas. Quando a gente se lança ao mundo, um amontoado de cantos vira um pouco lar. Mas esta casa tem um encanto a mais. Um quê de realismo fantástico. Uns contos que até a ficção duvida. Afora a nostalgia de uma...

pesadelo

Acordou em um sobressalto. Ofegante e ainda com o coração aos pulos, demorou longos instantes para ter certeza de que fora só um sonho. Respirou fundo para tentar esquecer aquelas projeções oníricas de um conjunto de lembranças do que não aconteceu, mas poderia....

humano

Mário é um cara gente boa. Ele é baixinho, negro e de cabelos fortes e escuros. Barba cuidadosamente desenhada e, quase sempre, um sorriso amigável no rosto. Mora no apartamento ao lado, com seu marido alto e de uma brancura pálida, além de discreto, em uma antítese...

duquesa à brasileira

Ela é filha do ex-governador mais votado lá na região onde nasceu. É uma moça com seus 30 e poucos anos, aspecto saudável e unhas e roupas que seguem à risca os códigos de vestimenta das revistas de moda que o marido, renomado empresário da indústria têxtil, deixa à...

dignidade

O grupo já estava quase totalmente disperso quando ele apareceu. Era um protesto revoltado e entristecido por alguma das tantas perdas das últimas estações. Mas pouca gente aderiu. Vocês sabem como é. Rodoviária do Plano Piloto, 6 horas da tarde. Uns passavam com...

tia-bisavó

Quando conheci vó Quita, ela já era uma senhora de cabelos curtos e totalmente brancos, coberta de adoráveis rugas, uma ilustração natural dos percursos que atravessou em seu quase século de vida. Tenho uma lembrança distorcida do seu aniversário de 90 anos. Foi uma...

desordem

Eles chegam na repartição todo dia às 7h da manhã. Francisca, na verdade, desce na parada mais próxima às 6h37. Para não perder a hora, já às 5h20 ela está preparada para cruzar a fronteira entre Goiás e Distrito Federal. Isso em dias normais. Nas ocasiões em que o...

um conto de Natal

Ele mora na rua. Não tem lugar certo para dormir. Mas, nesta época do ano, gosta de ficar na rodoviária. Entre as felicidades que quase não tem, estão as luzes de Natal. É quando o Eixo Monumental deixa de ser uma opaca simetria e ganha cores e vidas. Ele não disse...

Fagulhas

A gente se torna mulher, disse Simone, em um de seus consagrados escritos, lá por meados de muito tempo atrás. E essa ideia, então – e enfim – transposta em palavras, ressoa ainda no dia após dia de cada menina que vem ao mundo. Uma amiga querida me contou que fica...

à toas no facebook

Pin It on Pinterest